COVID-19: AFINAL DE CONTAS, QUAL A ORIGEM DO NOVO CORONAVÍRUS (SARS-COV-2)?

Por Alessandro França - março 29, 2020



Atualmente, o mundo todo está vivenciando uma situação conturbada devido ao novo coronavirus. Inicialmente, ele se espalhou na região de Wuhan, na China, causando desde um quadro de febre, tosse e coriza, até dificuldade de respirar, em casos mais graves. A Organização Mundial da Saúde (ONU) nomeou o quadro patológico como COVID-19, do inglês Disease Coronavirus 2019, e o novo coronavirus recebeu uma nomenclatura oficial, sendo chamado de SARS-CoV-2. Ele acabou por se disseminar em outras regiões da China, atingindo também os países europeus, e num piscar de olhos o vírus se alastrou por todos os continentes do planeta. O que a pouco tempo era observado em regiões chinesas, agora é classificado pela ONU como uma pandemia.

Recentemente muito se tem conspirado quanto a origem do novo coronavirus e a partir disso, surgem mais especulações dele ter sido criado em laboratório, entretanto, todas são movidas por uma questão central: afinal de contas, qual a origem do novo coronavirus?

De acordo com um estudo publicado na Nature, a engenharia humana tem pouco relação com a criação do vírus. Segundo o autor e professor associado de microbiologia e imunologia da Scripps Research, Kristian Anderson, “ao comparar os dados da sequência do genoma disponíveis para cepas conhecidas de coronavirus, podemos determinar firmemente que o SARS-CoV-2 se originou através de processos naturais”. Outros autores e colaboradores também participaram do trabalho intitulado como 'The proximal origin of SARS-CoV-2'.

O sequenciamento do material genético do SARS-CoV-2 estimulou a construção de evidências que comprovam a origem natural do vírus. O grupo de pesquisadores se atentaram às características da proteína Spike, proteínas que dão o aspecto de coroa ao vírus e que são responsáveis por favorecer a sua entrada nas células humanas e animais. A porção dos receptores RBD (receptor-binding domain) e o local de clivagem foram observações importantes para a pesquisa.

O estudo descobriu que outros coronavirus, presentes em animais, apresentaram semelhanças a respeito do material genético com o vírus emergente. Logo, é provável que o SARS-CoV-2 tenha adquirido mutações ou recombinações genéticas que conferem a porção RBD da proteína Spike e ao local de clivagem, eficácia na ligação entre os receptores ACE2 presentes nas células humanas e o potencial infeccioso, respectivamente. Sendo assim, o novo coronavirus teria desenvolvido essas características através da evolução natural.

Os cientistas apresentam propostas quanto a origem dessas características, favorecidas pelas adaptações do vírus. Eles relataram que há similaridade genômica do SARS-CoV-2 e outros coronavirus encontrados em morcegos, e que esses animais seriam como um reservatório para o novo coronavirus. Mas, até o momento não foram documentados casos de transmissão morcego-homem, dando a entender que exista um hospedeiro intermediário.

Em outro cenário, as características do SARS-CoV-2 seriam adquiridas a partir das adaptações de seus hospedeiros. O estudo retrata que mamíferos semelhantes aos tatus, inclusive os pangolins, abrigam coronavirus que possuem a porção RBD parecidas com a mesma porção do SARS-CoV-2 e que o local de clivagem poderia ter se desenvolvido dentro do ser humano.

Contudo, as pesquisas são de importância crucial para a comunidade científica, pois suas informações e colocações acerca da origem do SARS-CoV-2, desestruturam quaisquer rumores e conspirações em relação a temática abordada. Portanto, as evidências contribuem e reforçam que o vírus não foi criado por engenharia genética, e sim de processos evolutivos naturais.


Siga nossas redes | Instagram | Facebok |


Referência/fonte
Andersen, K.G., Rambaut, A., Lipkin, W.I. et al. The proximal origin of SARS-CoV-2. Nat Med (2020). https://doi.org/10.1038/s41591-020-0820-9

  • Compartilhe:

VEJA TAMBÉM

6 comentários

  1. Parabéns Alexsandro pela ótima produção e informações a respeito de um assunto tão importante e que tanto nos assusta nos dias atuais. Fico feliz por vc . E muito gratificante vivenciar o crescimento de um ex aluno tão especial e inteligente como vc . Que Deus te abençoe sempre.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, Alessandro! Excelente produção, justamente o que pricisamos nesse momento tão crítico. Um futuro brilhante está lhe aguardando.

    ResponderExcluir
  3. A equipe do Biomedicina Total agradeçe os comentários ao nossso moderador!

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigado pelos elogios, a equipe agradece todo o carinho de vocês. O apoio da sociedade é muito importante para postagens de matérias como essa e diversas outras, o retorno de vocês é um estimulante. Espero que explorem e divulguem as diversas outras postagens superinteressantes do blog, e que continuem acompanhando o Biomedicina Total.

    ResponderExcluir