COVID-19: POR QUE DEVEMOS USAR MÁSCARAS DE PROTEÇÃO?

Por Agenor Gomes Neto - março 30, 2020


As máscaras respiratórias ou também chamadas de respiradores, são equipamentos de proteção individual (EPI’s) utilizados por profissionais com a finalidade de criar uma barreira entre o corpo humano e diversas partículas nocivas.

Essas partículas podem ser gotículas de água, aerossóis, poeira, vapores orgânicos, fumaça e gases. É importante saber que existem diversos tipos de máscaras respiratórias e cada com uma ou mais finalidades de proteção.

No entanto, existem dois tipos básicos de máscaras de proteção: máscara cirúrgica comum e máscara para proteção de aerossóis.

Máscara cirúrgica comum

  • É feita de material não tecido (polipropileno, poliestireno, policarbonato, polietileno, poliéster) e possui no mínimo uma camada interna e uma camada externa e obrigatoriamente um elemento filtrante (imagem 1).
  • O elemento filtrante deve possuir eficiência de filtragem de partículas (EFP) > 98% e eficiência de filtragem bacteriológica (BFE) > 95%.
  • São utilizadas para evitar a contaminação da boca e nariz do profissional de saúde ou do paciente infectado com COVID-19 quando os mesmos estiverem a uma distância inferior a 2 metros do potencial contaminante.
  • É muito importante para uma boa proteção a sua correta utilização, por isso, deve-se cobrir a boca e o nariz, com ajuste dos espaços entre a face e a máscara. Outro ponto importante é o tempo de utilização, que devem ser utilizadas por até 04 horas, desde que não tenham sido contaminadas ou estejam úmidas.
  • Em ambiente hospitalar, a máscara deverá ser descartada em lixo infectante. Aos demais fora do ambiente hospitalar, a máscara deverá ser descartada cuidadosamente no lixo.

Imagem 1: Máscara cirúrgica comum.
Máscaras para proteção de aerossóis

  • São utilizadas para evitar a contaminação da boca e nariz dos profissionais de saúde quando expostos a procedimentos geradores de aerossol (aspiração de vias aéreas, intubação, broncoscopia, entre outros) a uma distância inferior a 2 metros do paciente suspeito ou confirmado de infecção pela COVID-19.
  • Elas podem ser de diferentes tipos: R95, N99, N95, com base na combinação de suas características (imagem 2). Estas possuem eficiência na filtragem de partículas de tamanho tão pequeno quanto 0,1 a 0,3µm.

10 Mascara Pff2 Proteção Gripe H1n1 - Equivalente N95 - R$ 74,90 ...
Imagem 1: Máscara N95.
Agora, sabendo das funções das máscaras de proteção respiratória, é fácil compreender o motivo pela qual ela dever ser utilizada e porquê as máscaras foram tão procuradas para se proteger do Coronavírus. 

Segundo Sui Huang, em uma publicação no site Medium, a recomendação oficial por diversos países de que o público não deveria usar máscaras faciais (a menos que estivesse infectado), foi motivada pela necessidade de “guardar” máscaras de respiração para os profissionais de saúde. 

Embora não haja nenhum embasamento científico que comprove essa recomendação, Sui Huang argumenta que tendo em vista outro objetivo declarado de “achatar a curva epidemiológica” (figura 1), qualquer redução adicional da transmissão seria bem-vinda, mesmo aquela proporcionada pelas máscaras cirúrgicas simples ou máscaras caseiras. 
Como "achatar a curva" (parte 1) | Blog do Helio Gurovitz | G1
Figura 1: gráfico demonstra achatamento da curva epidemiológica.
O fato é que, as máscaras de proteção contribuem fortemente para: a redução da disseminação de gotículas respiratórias contendo o vírus causador do COVID-19 em pacientes infectados; proteção daqueles não contaminados e dos profissionais de saúde. 

Mas por que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomendou que pessoas saudáveis ​​não usassem máscaras, apenas as doentes e os profissionais de saúde? 

A justificativa mais óbvia segundo Sui Huang é que haveria uma escassez de máscaras e isso prejudicaria mais ainda. 

Sui Huang diz que “as máscaras cirúrgicas e as máscaras respiratórias N95 usadas incorretamente não oferecem proteção perfeita. Mas se o objetivo declarado é "achatar" a curva, temos que abandonar o pensamento em preto e branco e adotar tons de cinza”. O que ele quer dizer é: não podemos mais afirmar que as máscaras não são eficazes e não podem ser utilizadas sem embasamento científico, já que sabemos qual a finalidade das máscaras de proteção. 

Ausência de evidência (de proteção) não é evidência de ausência. Apesar de não haver evidências suficientes sobre a transmissão do Coronavírus, sabemos que ele pode ser transmitido por gotículas de espirro e saliva ou aerossóis. 

Essas gotículas podem ser classificadas como: 

  • Gotículas maiores que 10um, que podemos chamar de gotículas grandes, podem ser visíveis a olho nú num spray gerado por tosse ou espirro. Neste caso, tanto as máscaras N95, quanto as máscaras cirúrgicas podem diminuir o contato com essas partículas, contendo o vírus a depender do tamanho. 
  • Gotículas com um diâmetro inferior a 10um (limite máximo de tamanho para a definição de 'aerossol') são partículas menores e tão leves que podem flutuar no ar. Aqui, as máscaras N95 apresenta uma maior eficiência quando comparada a máscara cirúrgica, devido a sua finalidade de conter partículas menores. 
Pode-se entender que a utilização das máscaras de proteção contribui para a diminuição do contágio e disseminação do vírus. Com isso, essa prática pode influenciar o achatamento da curva epidemiológica juntamente com o ato de distanciamento social. 

Contudo, a responsabilidade social e a empatia devem ser consideradas nesse aspecto, visto que devemos respeitar as recomendações dos órgãos oficiais para o controle da pandemia.

Vale lembrar que todos os profissionais devem utilizar a máscara de proteção respiratória adequada para cada procedimento realizado.

Os pacientes com suspeita ou casos confirmados devem utilizar máscaras de proteção para evitar a disseminação.


Siga nossas redes | Instagram | Facebok |


Referências/fonte
Huang, S. COVID-19: WHY WE SHOULD ALL WEAR MASKS — THERE IS NEW SCIENTIFIC RATIONALE. Medium. 26 mar 2020. https://medium.com/@Cancerwarrior/covid-19-why-we-should-all-wear-masks-there-is-new-scientific-rationale-280e08ceee71
OPAS/OMS Brasil – Organização Pan-Americana da Saúde. Máscaras faciais durante surtos: quem, quando, onde e como usá-las. 28 fev. 2020. https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6115:mascarasfaciais-durante-surtos-quem-quando-onde-e-como-usa-las&Itemid=812.
Governo do Estado do Paraná. Saúde Informa. Coronavírus. 2020. http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/NO_03_MASCARAS_PARA_PROTECAO_V2.pdf

  • Compartilhe:

VEJA TAMBÉM

0 comentários