Notícias de Última Hora

SIMPLES EXAME DE SANGUE CAPAZ DE DIAGNOSTICAR TUMORES

Os investigadores encontraram um teste sanguíneo simples que pode ser capaz de diagnosticar determinados tipos de cancro sólido, monitorizar a quantidade de cancro no sangue de um paciente, bem como as suas respostas ao tratamento.

Imagine este cenário: uma amostra de sangue é usada para diagnosticar certos tipos de cânceres sólidos. Ele também pode monitorizar a quantidade de cancro no corpo de um paciente, e mesmo de uma resposta ao tratamento. Agora, pesquisadores da Stanford University School of Medicine descobriram uma maneira de transformar esse cenário em realidade.

As versões anteriores da abordagem, que contam com níveis de monitoramento de DNA do tumor circulantes no sangue, têm exigido passos pesados ​​e tediosos para personalizá-lo para cada paciente. Eles também não têm sido suficientemente sensíveis. 

Entretanto, a nova abordagem dos pesquisadores, publicado em um artigo na Nature Medicine, é muito específica e sensível e é esperado para ser amplamente aplicáveis ​​a muitos tipos de cânceres. Na verdade, os pesquisadores identificaram com precisão cerca de 50 por cento das pessoas no estudo com câncer de pulmão em estágio-1 e todos os pacientes cujos cânceres eram mais avançados.

A técnica dos pesquisadores, que deram o nome de CAPP-Seq, perfil personalizado do câncer por sequenciamento profundo, é tão sensível que pode detectar apenas uma molécula de DNA do tumor em um mar de 10.000 moléculas de DNA saudáveis ​​no sangue. 

Triagem Pessoas saudáveis
Embora os investigadores tenham concentrado em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (que inclui a maioria dos cânceres de pulmão, incluindo o adenocarcinoma, carcinoma de células escamosas e carcinoma de células grandes), é esperado que a abordagem seja amplamente aplicável para muitos tumores sólidos diferentes por todo o corpo.

De acordo com o papel, é também concebível que poderia ser utilizado para controlar o progresso de um paciente diagnosticado previamente, assim como para o rastreio de populações saudáveis ​​ou em risco.

Dr. Maximilian Diehn, Ph.D., professor assistente de radiação oncológica na Universidade de Stanford, disse a Healthline, "O exame de sangue que temos desenvolvido para o câncer de pulmão pode ser adaptado para quase qualquer tipo de câncer. Estamos começando a trabalhar em estabelecê-la na o laboratório clínico aqui em Stanford ... Atualmente, depois de um paciente complete o tratamento padrão para o câncer muitas vezes é difícil dizer se todas as células cancerígenas foram eliminadas. Os pacientes precisam, portanto, ser seguido com repetidas rastreios. Estamos esperançosos de que nosso exame de sangue vai ajudar a identificar os pacientes que ainda têm células cancerosas em seus corpos no final do tratamento. Se assim for, é possível que esses pacientes possam receber mais tratamento e aumentar suas chances de uma cura ". 

Líquido Biópsia para o cancro do pulmão
Também falando com a Healthline, Dr. Ash Alizadeh, hematologista e oncologista que também esteve envolvido no estudo, concordou com Diehn. "Uma das coisas mais difíceis que nós enfrentamos, é o quanto a doença está avançada quando os nossos pacientes aparecem para nos ver e quando nós estamos vendo estes pacientes para tratamento, quanto tempo leva antes de sermos capazes de determinar se eles estão tendo uma resposta ao tratamento".

Alizadeh continuou: "A ideia para este teste é obter acesso ao tumor através do sangue, relativamente não invasivo comparado a fazer uma biópsia. O presente estudo concentra-se em utilizar tumores sólidos, que é a maioria do câncer, e transformá-las em tumores líquidos olhando o que todas as células fazem, que é por isso que eles morrem para lançar seu DNA. Nós olhamos no sangue para a identificar o DNA como uma lupa para o que está acontecendo no tumor ".

Enfatizando que o teste é uma biópsia líquida para o câncer de pulmão, o que permite medir a presença ou ausência de câncer de pulmão, bem como a quantidade de câncer de pulmão, e para monitorar isso com muita precisão, Alizadeh disse: "É relativamente barato, e não envolve recebendo scans. Vemos resultados bastantes impressionantes muito cedo durante o curso do tratamento. Estamos agora a começar a monitorá-lo para os linfomas, câncer do esôfago, pâncreas, mama e cancro do cólon ". 

Cada câncer é geneticamente diferentes 
Notando que cada câncer tende a ser geneticamente diferentes para diferentes pacientes, Alizadeh disse que, embora conjuntos de mutações possam ser compartilhados entre os pacientes com um determinado cancro, os investigadores procuraram quais genes são mais comumente alteradas, e utilizadas abordagens computacionais para identificar a arquitetura genética do câncer. “Que nos permitiu identificar a parte do genoma que seria melhor para identificar e rastrear a doença “.

Os pesquisadores esperam CAPP-Seq sirva também como uma ferramenta de prognóstico. A técnica detectada pequenos níveis circulantes de DNA de tumores em um paciente que diagnosticado como curado da doença. No entanto, esse paciente apresentou recorrência da doença e morreu. 

Os pesquisadores estão projetando ensaios clínicos para ver se CAPP-Seq pode melhorar os resultados dos pacientes e diminuir os custos.




Referências/fonte/tradução
HealthLine - tradução de Tâmara Nunes e Tássia Nunes

Nenhum comentário