Notícias de Última Hora

COLORAÇÃO DE GRAM


A parede celular das bactérias é um envoltório semirrígido composto de peptídeoglicano responsável pela forma bacteriana. Ela está situada entre a cápsula e a membrana citoplasmática com função de prevenir a ruptura da celular e contribuir para a capacidade de causar doenças.

A parede celular divide as bactérias em dois grandes grupos, as Gram-positivas e as Gram-negativas. 
Quando submetemos as bactérias a coloração de Gram, elas irão se diferenciar pela cor. As Gram-Positivas quando observamos no microscópio tem sua coloração de Roxo a Lilás, e as Gram-Negativas de Vermelho a Rosa. Isso se dá por conta da estrutura da parede celular. A parede celular da Gram-Positiva contém muitas camadas de peptídeoglicado e ácidos teicóicos, ou seja, uma estrutura espessa e rígida, e a Gram-Negativa tem sua parede celular com poucas camadas de peptídeoglicano e não contém ácidos teicóicos, sendo uma parede fina.

MÉTODO DE GRAM

Desenvolvido pelo Médico bacteriologista e farmacologista dinamarquês Hans Christian Joachim Gram. Consiste no tratamento sucessivo de um esfregaço bacteriano, fixado pelo calor, com os reagentes cristal violeta, lugol, etanol-acetona e fucsina básica.


Vamos entender um pouco como acontece a colocação observando primeiro o passo a passo:

1 . Com uma lâmina seca e já fixa com a suspensão bacteriana, adiciona-se sobre a lâmina o Cristal Violeta e deixa agir por 1 minuto. Após o tempo retira o excesso do corante lavando com uma fina tira de água.
2. Após lavar, adiciona-se sobre a lâmina o Lugol e deixa agir por mais 1 minuto. Novamente retira o excesso lavando com uma fina tira de água.
3. Agora adiciona-se o álcool-acetona e deixa agir por 10 a 20 segundos e posteriormente lava com a água para retirar o excesso.
4. O último passo é deixar agir sobre a lâmina a Fucsina por aproximadamente 20 a 30 segundos. Depois é só lavar e secar com papel absorvente ou se preferir deixar secar naturalmente. Após a secagem a lâmina já está pronta para a microscopia. 

Passo a passo da coloração de Gram.
Agora veja as interações tintoriais nas células bacterianas:

O resultado final observado na microscopia óptica (100x)



Última atualização: 13/01/2019 - 13h21.

Referências/fonte
TORTORA, Gerard J; FUNKE. Berdell R; CASE, Christine L. Microbiologia. ed. 10. Porto Alegre: Artmed, 2012.
http://depto.icb.ufmg.br/dmic/index.php?secao=material&material=19
http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/HansChr1.html
Imagem: Google imagens.

Nenhum comentário