ERITEMA INFECCIOSO, PARVOVÍRUS B19

Por Unknown - abril 27, 2015


Manifestações clínicas associadas ao Eritema infeccioso causado pelo Parvovírus B19, vem acometendo algumas regiões do Brasil.

Mas você sabe o que é o Eritema infeccioso?

Eritema infeccioso, também chamado de quinta doença ou megaloeritema epidêmico, é uma doença exantemática infecciosa, benigna, causada pelo parvovírus humano B19, que afeta mais as crianças e os adolescentes.
Parvovírus B19 (B19V) é um vírus DNA de cadeia simples da família Parvoviridae e gênero Erythrovirus. Embora parvoviruses comumente causam doenças em animais, foi apenas em 1975 que o primeiro patógeno humano desta família foi descoberto por Cossart e colegas enquanto faziam triagem para soros para o antígeno da hepatite.

O período de incubação varia entre quatro e catorze dias. Os surtos são mais frequentes na primavera. A enfermidade é transmitida pelo contato com as secreções respiratórias da pessoa infectada ou verticalmente da mãe para o feto durante a gravidez, situação que representa risco de aborto e malformações fetais.

A infecção pelo parvovírus B19 nos Estados Unidos é extremamente comum. Os índices de seropositividade são 5-10% entre as crianças (2-5 anos), aumentando para 50% antes dos 15 anos e 60% ​​até 30 anos de idade. Uma pequena porcentagem de adultos adquirem a infecção a cada ano, resultando em uma incidência de aproximadamente 90% em adultos com mais de 60 anos. A taxa de soro conversão anual em gestantes sem parvovírus B19 é de 1,5%.

Os sintomas no início da infecção pode ser assintomática. Se surgirem, os primeiros sintomas são febre baixa, dor de cabeça e no corpo, mal-estar, coceira. Os sinais mais característicos, porém, são a palidez ao redor da boca e as manchas em forma de maculopápulas que deixam as bochechas muito vermelhas, em forma de asa de borboleta ou como se a pessoa tivesse levado uma bofetada.

Depois de um ou dois dias, a erupção se espalha pelo tronco, pernas, braços, extremidades, e desaparece, mas pode recidivar nas áreas expostas à luz solar, com as mudanças bruscas de temperatura, sob estresse ou esforço físico. Em alguns casos, podem ocorrer dores musculares e nas articulações.

O diagnóstico é basicamente clínico e leva em conta as características da erupção cutânea. Exames de sangue podem ajudar a identificar os níveis de anticorpos para o vírus B19, quando for necessário estabelecer o diagnóstico diferencial com outras doenças exantemáticas, como a rubéola e o sarampo.

O tratamento é como em todas as doenças causadas por vírus, o tratamento inclui repouso e analgésicos, antitérmicos e anti-histamínicos para alívio dos sintomas.







Referências/fonte
Dr. Drauzio Varella. Eritema infeccioso. http://drauziovarella.com.br/crianca-2/eritema-infeccioso/ .
Medscape. Parvovírus B19. http://emedicine.medscape.com/article/961063-overview .

  • Compartilhe:

VEJA TAMBÉM

0 comentários