CÂNCER - CARCINOMA IN SITU E INVASIVO

Por Unknown - abril 20, 2015



Os carcinomas acometem geralmente o tecido epitelial e o tecido conjuntivo. O tecido epitelial caracteriza-se por células justa-postas firmemente aderida umas as outras com pouca substância fundamental amorfa (matriz intercelular), sendo avascular e sustentado pela membrana basal. Já o tecido conjuntivo tem poucas células muito separadas e mergulhadas na substância intercelular produzidas por elas mesmas - fibroblasto, constitui as células próprias do tecido conjuntivo - sendo vascular e abaixo da membrana basal.

Carcinoma é um tumor de origem epitelial. Os tumores derivados dos epitélios glandulares são normalmente denominado de adenocarcinoma (mais comuns em adultos). Carcinomas compostos de células diferenciadas refletem características morfológicas específicas e comportamentos das células das quais originaram.

As células cancerosas tem duas características peculiares: reproduzem-se não obedecendo os processos normais de divisão celular; invadem e colonizam tecidos. A célula anormal se prolifera dividindo-se constantemente e cresce sua massa dando origem ao tumor (neoplasia). Os tumores podem ser in situ - tumor benigno - quando somente se prolifera no tecido epitelial e pode ser invasivo - tumor maligno - o tumor invade literalmente o tecido subjacente, por exemplo, quando ele atravessa a membrana basal ganhando o tecido conjuntivo. O Carcinoma invasivo permite que a célula cancerosa penetre na corrente sanguínea dando a possibilidade de se proliferar em outro local do corpo num processo chamado de metástase dando origem a tumores secundários.

REPRESENTAÇÃO DOS CARCINOMAS DERIVADOS DO TECIDO EPITELIAL
Fonte: BRUCE, Alberts; ... [Et. al.] Biologia molecularda célula.
Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), o número estimado para 2014 é de aproximadamente 576 mil casos novos de câncer no Brasil, incluindo os casos de pele não melanoma, que é o tipo mais incidente para ambos os sexos (182 mil casos novos), seguido de próstata (69 mil), mama feminina (75 mil), cólon e reto (33 mil), pulmão (27 mil), estômago (20 mil) e colo do útero (15 mil). Duas tendências importantes foram apontadas: a redução na incidência dos casos novos de cânceres do colo do útero e de pulmão (homens).

Veja a tabela a seguir:

Localização primária
Casos novos
%

Localização primária
Casos novos
%
Próstata
68.800
22,8%
Fonte: INCA

Mama Feminina
57.120
20,8%
Traqueia, Brônquio e Pulmão

16.400

5,4%
Cólon e Reto
17.530
6,4%
Cólon e Reto
15.070
5,0%
Colo do Útero
15.590
5,7%
Estômago
12.870
4,3%
Traqueia, Brônquio e Pulmão

10.930

4,0%
Cavidade Oral
11.280
3,7%
Glândula Tireoide
8.050
2,9%
Esôfago
8.010
2,6%
Estômago
7.520
2,7%
Laringe
6.870
2,3%
Corpo do Útero
5.900
2,2%
Bexiga
6.750
2,2%
Ovário
5.680
2,1%
Leucemias
5.050
1,7%
Linfoma não Hodgkin

4.850

1,8%
Sistema Nervoso Central

4.960

1,6%
Leucemias
4.320
1,6%



Referências/fonte
BRUCE, Alberts; ... [Et. al.] Biologia molecularda célula. 5. ed. Porto Alegre. Artmed. 2010.
JUNQUEIRA, Luis Carlos Uchoa; JUNQUEIRA, José Carneiro. 11. ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2008.
Site: http://www.inca.gov.br/estimativa/2014/tabelaestados.asp?UF=BR

  • Compartilhe:

VEJA TAMBÉM

0 comentários